Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

28 de setembro de 2009

TESTEMUNHO DE CONVERSÃO DO SYLVESTER STALLONE

stalone  Li esta reportagem no blog do Alexandro, e não podia deixar de postar no blog. Famoso por seus filmes de ação, onde “matava” os inimigos, Stallone agora faz parte de outro exército, o do SENHOR JESUS, conforme o texto abaixo.  Sylvester Stallone, famoso pelos filmes “Rocky” e “Rambo”, voltou a suas raízes cristãs, numa experiência de conversão que ele diz o libertou das pressões do mundo.


“Quanto mais vou à igreja”, disse Stallone, de acordo com o boletim CitizenLink de Focus on the Family, “e quanto mais me entrego ao processo de crer em Jesus e escutar Sua Palavra e deixá-Lo me guiar no que faço, mais sinto como se as pressões sumissem de cima de mim”.
No filme de Stallone, Rocky Balboa, o último na série de filmes “Rocky”, ele reflete sobre seguir Cristo e não sobre enfrentar batalhas sozinho.
“É como se [Rocky] estivesse sendo escolhido, como se Jesus estivesse sobre ele, e como se ele fosse o cara que viveria sempre o exemplo de Cristo”, Stallone disse numa conferência com pastores e líderes religiosos no ano passado. “[Rocky agora] é muito, muito perdoador. Não há amargura nele. Ele sempre vira a outra face. É como se sua vida inteira fosse sobre servir”.
“Fui criado num lar cristão, e aprendi a fé cristã e fui até onde consegui”, disse Stallone. “Até que um dia, sabe, entrei no tão chamado mundo real e conheci a tentação. Praticamente me desviei do caminho e fiz uma porção de escolhas erradas”.
Stallone disse que ele quer comunicar para as audiências a importância de freqüentar a igreja e receber apoio no compromisso de viver a fé cristã.
“Precisamos ter a experiência e a orientação de outra pessoa”, disse ele. “Não podemos treinar a nós mesmos. Sinto do mesmo jeito acerca do Cristianismo e acerca do que a igreja é: A igreja é a academia de ginástica da alma”.
A estória de um Rocky que sente culpa espiritual e lê a Bíblia antes de cada luta foi escrita pela própria experiência de vida do ator, disse Stallone.
“A maior parte dos meus filmes anteriores era cheia de sangue”, ele declarou para o jornal San Francisco Chronicle. “Eles eram os resultados criativos de minha juventude, quando meu casamento não estava indo bem e me sentia seduzido pelas tentações de Hollywood”.
“Precisei realmente passar por meus testes e tribulações”, ele disse, “antes que eu pudesse ser homem o suficiente para saber escrever o tipo de estória que ‘Rocky Balboa’ é”.
Stallone desenvolveu um kit de recursos grátis para líderes, em associação com Motive Entertainment, para ajudar os pastores e líderes de igreja a utilizar a mensagem cristã do filme. O kit inclui um guia de líderes (grátis por download) que lida com as questões de coragem, integridade, fé, vitória e propósito, relatou o jornal Christian Examiner. O guia tem várias abordagens feitas para suprir as várias necessidades dos pastores, líderes de jovem, líderes de ministérios de leigos e pais.


Fonte: Lifesite – Via Portal Gospel via blog da Nana e Xandy PIB.

COMO LIDAR COM A INSATISFAÇÃO NA IGREJA

image

Quem é que ainda não reclamou ou comentou sobre alguma coisa dentro da sua Igreja, principalmente, nos dias atuais em que há muitas novidades e mais liberdade de costumes? A insatisfação é como uma moeda de duas faces. Se você não tomar cuidado, pode entrar por um caminho perigoso e perder a alegria da sua salvação.É muito comum voltar da Igreja para casa, hoje, com um "cesto" de assuntos não muito cristãos, para dizer o mínimo.

Boa parte dos crentes não está indo à casa de Deus para adorar, senão para observar e colher as (más)novidades. Conscientemente ou não.Quando saímos da posição de adoradores para "observadores" as coisas se complicam. Primeiro isso não agrada a Deus. Seria como uma oferta defeituosa. Acho mesmo que nem oferta seria. Veio à mente uma imagem: mãos vazias. Depois cultuar de mãos vazias, parafraseando a Bíblia, seria como enterrar o único talento.

Talento enterrado. Adoração negativa. Sem pensar nisso você estaria ofendendo a Deus indo ao culto sem nada para oferecer; entristecendo o Espírito Santo.Uma atitude crítica com respeito à vida dos outros. Do pregador, do pastor, da mocidade, das senhoras, das crianças. Do estacionamento, do banco pouco confortável, do secretário, do irmão das conversas paralelas durante o culto. Um arsenal completo não da armadura do cristão, mas do crítico anticristão.

Quem se age desta maneira dificilmente vai perceber que se comporta assim.É por isso que muitos de nós não têm mais prazer de ir ao culto. Não ouve mais a voz de Deus nada dentro da Igreja. Já entristeceu tanto o Espírito Santo, que não recebe mais nada. E não recebe nada por que não veio oferecer nada. Outra imagem de pregações antigas: um vaso de boca para baixo.Antes de mudar de Igreja, seria muito bom fazer uma pequena anamnésia. Por que eu estou insatisfeito com minha Igreja?

Tenho sido um adorador ou um crítico? Minha vida é um sacrifício vivo de adoração a Deus ou só penso em adorar quando vou ao culto? Como estou diante de Deus? Carrego de volta para casa depois do culto tudo o vi de ruim ou ocupo meu tempo comentando como foi bom o culto? Dependendo da resposta, mesmo que mude de Igreja sua insatisfação vai segui-lo/a. E aí?Eu não creio que seja fácil mudar um comportamento crítico enraizado. Eu me humilharia diante de Deus e evitaria conversar sobre assuntos da Igreja DIUTURNAMENTE com pessoas com o mesmo defeito.

Hoje, com tanta liberdade, e tantas Igrejas, e tantos pastores, uma doutrina mais ortodoxa afasta pessoas. Muitas coisas são relevadas e não há, talvez, uma preocupação em ensinar e repisar este assunto. Outra imagem volta a minha mente: a oferta de Abel e a oferta de Caim.Caim caiu da graça e chegou ao ponto de matar seu irmão por um problema acontecido na adoração. Não sei que tipo de oferta os dois levaram. Mas um deles pensou que eliminando o irmão iria resolver o problema da oferta. E o problema não estava o irmão, mas na forma de cultuar de Caim.

E assim, por causa da insatisfação você pode fazer muitas coisas. Acho que entre todas elas apenas é a melhor. Resolva este problema em oração com o Senhor Jesus. Converse com Ele. Chore na presença Dele. Desabafe suas mágoas e mesquinharias com Ele. Se você fizer assim vai resolver a raiz de muitos males. Se você é cristão e anda insatisfeito com tudo, principalmente com a sua Igreja, tome cuidado. Os santos da sua Igreja são mesmo pessoas com um variado leque de defeitos.

A palavra de Deus pode limpá-los, deletá-los. Pedro perguntou: Senhor, até quantas vezes devo perdoar meu irmão - sete vezes? Ao que Jesus respondeu: Não apemas sete vezes, mas 70 x 7 - 490 vezes - por dia!A falta de perdão é como a louça suja que vai acumulando na pia, dia após dia.

Da mesma forma que produz uma insatisfação insuportável chegar em casa e verificar que tem louça por lavar há mais uma semana, um coração que tenha o mau hábito de guardar e comentar tudo o que de ruim se passa na Casa de Deus vai acabar mesmo muito insatisfeito, vazio do Espírito. Um vaso sujo, que precisa ser limpo pelo melhor bombril que existe: o perdão do Senhor Jesus Cristo.Não dê "mole" para a insatisfação. As vítimas podem ser você e sua família.

Autor: João Cruzoé - Fonte: Olhar Cristão

PORQUE EU TENHO QUE ME ASSOCIAR A UMA IGREJA?

1.Cristo amou a sua igreja e se entregou por ela (Ef 5.25; At 20.28). Isto já é motivo suficiente para você dar firmemente as mãos a estes por quem Ele deu sua própria vida?

2.A igreja local não é um fim em si mesma, mas foi o principal movimento que Cristo criou para levar transformação a uma comunidade (At 17.6). Juntos podemos fazer mais.

3.Quem se entrega a Cristo se torna parte de sua família ou seu corpo – uma metáfora bem apropriada e usada na Bíblia ao se referir a igreja.

4.Desde o início do Cristianismo, havia sim a noção de se fazer parte formalmente de uma igreja: Paulo, trazia e enviava cartas de recomendação de pessoas para juntarem-se a igreja de cada cidade (2Cor 3.1). O apóstolo João recomenda membros de suas comunidades a serem bem recebidos nas igrejas de outros locais (3 Jo 5-9). E em Atos, percebemos que havia um grupo de pessoas distintamente reconhecido como a igreja de uma localidade (18.24-27). Outros textos poderiam ser incluídos, como os que mencionam a exclusão de membros da igreja (Mt 18.17 e 1 Co 5.13). Mas é suficiente dizer que o Novo Testamento desconhece a noção de um cristão isolado. Um indivíduo cristão e a comunidade de cristã parecem estar sempre interligados (1Coríntios 12.12-27).

5.Sabemos que membros de igrejas ou mesmo ela como instituição, podem ter ferido pessoas no correr da história. Mas também é verdade que Deus tem usado muito pessoas da igreja e ela como organismo a restaurar muito mais. O seu envolvimento com a igreja – e não sua indiferença ou distanciamento - pode ser a ferramenta que Deus vai usar para resgatar pessoas, famílias e comunidades (At 20.35).

Queremos que você também experimente a alegria de ser um membro da Primeira Igreja Batista de Uberaba Uma pequena parte da grande Igreja de Jesus.

FONTE: http://xandynanaura.blogspot.com/

HISTÓRIA DA IGREJA BATISTA NO BRASIL.

bannercbb

Quem somos como Batistas

Somos um povo que vem de longe, com muitos nomes, de muitas perseguições, de muitas lutas, mas construindo uma bela história de fé, de doutrina e de princípios. Você os conhecerá nos conteúdos dos documentos que disponibilizamos neste Portal.
Somos o povo da Bíblia, a Palavra Infalível e Eterna de Deus. Cremos em Deus Pai, santo, justo, criador, e sustentador de todas as coisas. Cremos no Deus Filho Jesus Cristo, Salvador e Senhor de nossas vidas e almas e no Deus Espirito Santo, o Consolador que nos guia em tudo quanto Jesus ensinou.

Com o nome de Batista existimos desde 1612, quando Thomas Helwys de volta da Holanda, onde se refugiara da perseguição do Rei James I da Inglaterra, organizou com os que voltaram com ele, uma igreja em Spitalfields arredores de Londres.
Thomas Helwys, que era advogado e estudioso da Bíblia, ao escrever um livro intitulado " Uma Breve Declaração Sobre o Mistério da Iniquidade", foi preso e morreu na prisão, em 1615.
No referido livro, ele escreveu aquilo que é um dos mais caros princípios batistas, o principio da liberdade religiosa e de consciência :"... a religião do homem está entre Deus e ele: o rei não tem que responder por ela e nem pode o rei ser juiz entre Deus e o homem. Que haja, pois, heréticos, turcos ou judeus, ou outros mais, não cabe ao poder terreno puni-los de maneira nenhuma".
Nossas igrejas adotam a forma de governo Congregacional Democrático. São Igrejas autônomas e locais. Relacionam-se umas com as outras pela mesma fé e ordem, de forma cooperativa e por laços fraternais.
Crêem na conversão pessoal de cada crente a Jesus Cristo, no exercício de sua responsabilidade individual e que é aceito pela Igreja por batismo por imersão e mediante confissão da sua fé em Jesus Cristo como salvador pessoal. Portanto. Não aceitam e nem praticam o batismo infantil. Realizam seus objetivos comuns pela cooperação voluntária, na forma de associação de Igrejas ou de convenções, como é o caso da Convenção Batista Brasileira.

 

Sua Origem


Em 1882, quando foi organizada a Primeira Igreja Batista, voltada para a evangelização do Brasil, já existiam duas outras igrejas batistas, organizadas por imigrantes norte-americanos, residentes na região de Santa Bárbara do D'Oeste e Americana, São Paulo.
Os casais de missionários batistas norte-americanos, recém chegados ao Brasil, Willian Buck Bagby e Anne Luther Bagby, os pioneiros; e Zacharias Clay Taylor, Kate Stevens Crawford Taylor, auxiliados pelo ex-padre Antônio Texeira de Albuquerque, batizado em Santa Bárbara D'Oeste; decidiram iniciar a sua missão na cidade de Salvador, Bahia, com 250.000 habitantes. Ali chegaram no dia 31 de agosto de 1882 e no dia 15 de outubro, organizaram a PIB do Brasil com 5 membros; os dois casais de missionárias e o ex-padre Antônio Teixeira.

Este foi o início
Nos primeiros vinte e cinco (25) anos de trabalho, Bagby e Taylor auxiliados por outros missionários e, por um número crescente de brasileiros, evangelistas e pastores, já tinham organizado 83 igrejas, com aproximadamente 4.200 membros.
Organização da Convenção
Segundo José dos Reis Pereira, Salomão Ginsburg foi a primeira pessoa a pensar na organização de uma Convenção Nacional dos Batistas Brasileiros.
Mas, somente em 1907, a idéia foi concretizada. A. B. Deter, Zacharias Taylor e Salomão Ginsburg concordaram em dar prosseguimento ao plano. Eles conseguiram a adesão de outros missionários e de líderes brasileiros, inclusive Francisco Fulgêncio Soren, que tinha, inicialmente, algumas reservas.
A comissão organizadora optou pela data de 22 de junho de 1907 para organizar a Convenção, na cidade de Salvador, quando transcorreriam os primeiros 25 anos do início do trabalho batista brasileiro, também começado na referida cidade.
No dia aprazado, no prédio do ALJUBE, onde funcionava a PIB de Salvador, em sessão solene, foi realizada a primeira Assembléia da Convenção Batista Brasileira, composta de 43 mensageiros enviados por Igrejas e organizações. A casa estava cheia. O clima era de festa, celebrando o que Deus fizera a partir daquele início tão pequeno!
Criada a Convenção, foi eleita sua primeira diretoria: Presidente - Francisco Fulgêncio Soren; 1º Vice-presidente - Joaquim Fernandes Lessa - 2º Vice-presidente - João Borges da Rocha; 1º Secretário - Teodoro Rodrigues Teixeira; 2º Secretário - Manuel I. Sampaio; Tesoureiro - Zacharias Taylor. A motivação básica da criação da Convenção foi missões e falava-se na evangelização de Portugal, do Chile e da África. Foram criadas além das duas Juntas Missionárias, Missões Nacionais e Missões Estrangeiras (hoje Missões Mundiais) outras juntas: para a Casa Publicadora Batista, para Escola Bíblica Dominical, para União de Mocidade Batista, para Educação e Seminário, e para a Administração do Seminário. Ao todo 7 Juntas.
As áreas de Missões, Educação Religiosa e Publicações, Educação Teológica e Educação, foram as que receberam maior atenção dos convencionais.


Os Batistas e as Missões


Missões locais, nacionais e mundiais empolgaram o coração do povo batista brasileiro e a obra se expandiu por todo o território pátrio e se espalhou pelo mundo, como se pode ver hoje.


Os Batistas e a Educação


A educação é uma marca visível do povo batista. Sua paixão pelo estudo da Bíblia desenvolveu o interesse pela educação religiosa, cultivada nas igrejas através das organizações de treinamento e da EBD. Os templos se tornaram verdadeiros complexos educacionais.
Com a Educação Religiosa veio a Educação Teológica. Inicialmente através de aulas dadas pelos missionários em suas casas, depois surgiram os Seminários: Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, organizado em Recife, PE, por Salomão Ginsburg, em 1º de abril de 1902, e o Seminário Teológico Batista do Sul, fundado pelo missionário John Watson Shepard, na cidade do Rio de Janeiro, 1908.
A estes dois Seminários, formam agregados dezenas de outros espalhados por todo o país, com milhares de alunos.
A Educação chamada de geral, ou secular, teve a mesma origem, o desejo de abrir oportunidades para o estudo da juventude e, de criar uma escola com capacidade para exercer influência sobre a sociedade brasileira.
O Colégio Taylor Egídio fundado em Salvador pela senhora Laura Taylor e pelo Capitão Egídio Pereira de Almeida foi o primeiro a vingar. Em 1922 ele foi transferido para a cidade de Jaguaquara, onde existe até hoje. (4)
Depois dele, e por causa dele, vieram o Colégio Batista Brasileiro de São Paulo; Colégio Americano Batista do Recife; Instituto Batista Industrial em Corrente, Piauí; Colégio Americano, em Vitória; Colégio Batista Shepard no Rio de Janeiro; Colégio Batista Alagoano em Alagoas; Colégio Batista Fluminense em Campos, RJ; Colégio Batista Mineiro, em Belo Horizonte. Além destes Colégios dezenas de outros foram organizados com a ajuda dos missionários ou por iniciativa de igrejas, Convenções estaduais e de particulares batistas. A contribuição dos batistas na área educacional é realmente notável, considerando tanto a qualidade quanto a quantidade. Hoje, perto de dois milhões de brasileiros, já passaram pelas escolas batistas.


Lutas e Problemas


Nem tudo são flores na caminhada da obra batista do Brasil e da Convenção. Ela tem atravessado problemas administrativos sérios, ameaças de divisão, e questões doutrinárias. Porém tornou-se centro de vida batista brasileira e da motivação do trabalho realizado em todo o território nacional.


A Convenção é um fator de Convergência e de União
As igrejas se filiam à Convenção voluntariamente, aceitam sua declaração doutrinária e seu programa cooperativo e se comprometem a apoiar e trabalhar pela expansão do Reino de Deus no Brasil, no mundo.
Unidos em torno da Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, e da pregação do Evangelho, as 6.000 igrejas cooperantes ampliam seu raio de ação inclusive, pela organização de cerca de centenas de igrejas cada ano e pela evangelização de milhares de pessoas que se convertem e são batizadas.
A Convenção tem encontrado na cooperação dos pastores e leigos, homens e mulheres, na submissão ao Espírito Santo, sabedoria para organizar seus planos e aceitar os desafios da comunicação do evangelho.
A Convenção Batista Brasileira comemorou em 1997 90 anos
Os batistas brasileiros podem agradecer a Deus pela realidade que é a CBB e celebrar sua existência com alegria. Estamos celebrando aquilo que é mais forte na denominação, o espírito cooperativo, motivado e alimentado pela Convenção, que coloca diante das igrejas de forma realçada, os objetivos do serviço e da adoração a Deus. Lembrando permanentemente a missão de pregar o Evangelho até os confins da terra.
Noventa anos de histórias e de lições, que abrem caminho para o futuro de união, cooperação e de serviço para a glória de Deus.
A história nos diz que podemos, com confiança em Deus, prosseguir para o alvo pelo prêmio da soberana vocação, de continuar servindo a Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo (Fil. 3:14).
Chegar ao início do século XXI e do 3º milênio com desafios audaciosos em seu planejamento e seus realizados, como é o caso do Portal Batista, que você está visitando e que o manterá informado quanto a contribuição que ela continua dando ao povo batista e ao povo brasileiro.


A história mundial dos Batista pode ser contada a partir de duas raízes principais:
» Das suas doutrinas;
» Do surgimento no cenário mundial com o nome Batista.


Considerando as Raízes Doutrinárias
Considerando as Raízes Doutrinárias, os Batistas saem diretamente das páginas do Novo Testamento: dos lábios e ensinos de Jesus e dos apóstolos e tem sua trajetória marcada pela oposição a toda corrupção da doutrina cristã claramente exposta no Novo Testamento.
Ao consultar a Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira você verá que as nossas doutrinas saem, com clareza límpida, das Sagradas Escrituras.
A corrupção de algumas doutrinas e práticas do cristianismo começaram a surgir muito cedo em sua história, como pode ser constatado nos escritos dos apóstolos. Esta corrupção foi se ampliando após a "conversão" do Imperador Constantino ( 306 a 337) ao cristianismo, ocorrida a partir de 312 quando incorporou a cruz ao seu estandarte e passou a favorecer os cristãos.
Muitos destes resistentes rejeitavam as inovações doutrinárias e as praticas e por isso foram perseguidos, exilados e mortos. Eles mantiveram acesas as doutrinas cristãs genuínas e possibilitaram, que através dos tempos, outros se levantassem na Idade Média como Cláudio de Turim, Pedro de Bruys e Henrique de Lausanne, Pedro Vado João Wycleffe, João Huss e muitos outros.
Com o surgimento da Reforma Protestante liderada por Martinho Lutero, e deflagrada em 31 de outubro de 1517 quando da publicação das suas famosas 95 teses, na porta do Castelo de Wittenberg, criou-se a oportunidade de que muitos grupos dissidentes intensificassem suas pregações, e entre eles os chamados Anabatistas que sustentavam muitas doutrinas que os batistas esposam e representavam o grupo mais ativo e poderoso daquele momento. O nome que lhes foi dado Anabatistas "significa os rebatizadores".
Finalmente, 1608 um grupo de refugiados ingleses que foram para a Holanda em busca da liberdade religiosa, liderados por John Smyth que era pregador e Thomas Helwys que era advogado, organizaram em Amsterdã, em 1609 uma igreja de doutrina batista, como era o sonho dos dois lideres.
John Smyth batizou-se por imersão e em seguida batizou os demais fundadores da igreja, constituindo-se assim a primeira igreja organizada, tendo como espelho as doutrinas do Novo Testamento inclusive o batismo por imersão e mediante a profissão de fé em Jesus Cristo.
Com a morte de John Smyth logo depois, e da decisão de Thomas Helwys e seus seguidores de regressarem para a Inglaterra, a igreja organizada se desfez e parte dos seus membros se uniram aos menonitas.


A Nossa História no Brasil e no Mundo
Considerando as raízes do nome batista

A história começa com a organização da Igreja em Spitalfields, nos arredores de Londres, em 1612, por Thomas Helwys e seus seguidores, já batizados na Igreja em Amsterdã. É esta Igreja, que agora inicia a linhagem de igrejas batistas que começam a crescer na Inglaterra sob severa perseguição por dissentirem da igreja oficial, a Igreja Anglicana.
A perseguição aos batistas e a outros grupos separatistas, os levou a várias partes do mundo, e em especial às colônias da América do Norte, em busca da liberdade religiosa.
Dois ilustres homens são considerados fundadores das igrejas Batistas em solo americano, Roger Williams, que organizou a Primeira Igreja Batista de Providence em 1639, na colônia que ele fundou com o nome de Rode Island, e John Clark que organizou a Igreja Batista de Newport, também em Rods Island e conhecida desde 1648. Os batista se espalharam pelas diversas colônias da América do Norte e fora influentes na formação da constituição americana de 1781.


A expansão dos Batistas no mundo.
Em 1791, um jovem pastor inglês chamado William Carey sentindo forte compaixão pelas multidões pagãs da Índia, decidiu iniciar com o apoio de vários pastores, um movimento para o envio de missionário àquelas terras. Assim foi criada a Sociedade de Missões no Estrangeiro, que tem tido uma participação muito grande na expansão da obra Batista na Ásia e África além de outros continentes e inclusive no Brasil.
Por sua vez, os Batistas Norte Americanos foram grandemente motivados a evangelizar o mundo. Um jovem casal de missionários Adoniram e Ana Judson enviados em 1812 pela Igreja Congregacional, para evangelizar a Índia, com destino a Calcutá, examinando a Bíblia, especialmente o Novo Testamento, a doutrino do batismo, já que iriam se encontrar com o missionário Batista William Carey e seu grupo de pastores, acabou por concluir que os batista estavam certos. Eles foram batizados pelo Pastor William Ward companheiro de Carey. O mesmo fato aconteceu com outro missionário Congregacional, também enviado a Índia, Luther Rice, que igualmente foi batizado, tornando-se Batista.
Eles decidiram que Adoniram Judson permaneceria no Oriente e Luther Raice voltaria aos Estados Unidos para mobilizar os Batistas para a obra missionaria. Seu trabalho vingou e em maio de 1814, foi funda uma Convenção em Filadélfia com o nome de “” Convenção Geral da Denominação Batista nos Estados Unidos para Missões no Estrangeiro”.
A partir daí, a obra missionária dos batistas iniciou um gigantesco crescimento. Chegando inclusive, através dos Batistas do Sul dos Estados Unidos, o Brasil. onde foi organizada, no dia 15 outubro de 1882, a Primeira Igreja Batista para Brasileiros em nossa terra e, deste trabalho, é que surgiu a Convenção Batista Brasileira.
Hoje os Batista estão presentes, em cerca de 200 países e representam uma população de perto de quarenta milhões de membros e atingem cerca de cem milhões de pessoas no mundo inteiro.


Fonte Site oficial da Convenção Batista Brasileira.

25 de setembro de 2009

O Tapeceiro!

Dando um tempo nas coisas ruins que têm aparecido por aqui... rsrs. E agradeço a alguns queridos irmãos que ofereceram ótimas dicas de músicos que trazem muito mais que musicalidade em suas mãos, trazem conteúdo.

Aqui vai um deles: é Stênio Marcius cantando "O Tapeceiro", não conhecia e achei ótimo.

Shofar e o Cristianismo judaizante!

image O cristianismo "moderno" se perde em meio ao judaísmo, na verdade a igreja tenta se "judaizar" nem sei se essa palavra existe, mas... shofar também não existe no Novo Testamento. Pelo menos não da maneira que é usado em algumas igrejas. Ainda estou tentando interpretar, com a mesma razão profética que possuem os que defendem o uso de símbolos judaicos dentro do cristianismo evangélico, os textos de I Cor. 15.50-58 e Ap. 4.1.

Se alguém conseguir alguma explicação boa pra isso pode postar nos comentários aqui a baixo.

Explicando, ainda a tempo, o shofar é aquele "berrante" feito de chifres de carneiro. O chifre pode ser tomado de vários animais, como o antílope, gazela, etc...


Interessante que os judeus só poderiam tocar o shofar com a cabeça coberta, mas hoje é claro não precisa mais isso...


Porque a igreja não resgata TODOS os símbolos e práticas do Antigo Testamento Judaico?
SIMPLES, porque nem tudo interessa para a igreja, afinal, só o fato de não guardar o sábado acarretaria nisso:

 

image  “qualquer um que no dia do sábado fizer algum trabalho, deve ser morto." - Êxodo 31:15


Lembro vagamente de algo que Paulo falou:

"Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê." - Romanos 10:4
"se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." - II Cor. 5:17


O cristianismo verdadeiro não é feito por símbolos nem por práticas antigas ou resgatadas de outras religiões.


image

O cristão precisa escolher se vai ser cristão ou judeu. Não dá pra ser os dois. Sendo cristão, o evangelho e Cristo são a regra de fé, sendo judeu a lei e Moisés.
Abraço a todos,
EM CRISTO, o fim de toda lei - Rm. 10:4

 

Fonte: Blog BuscaioReino

Unção para adquirir riquezas

image

"Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos." (1 Tm 6.17)

É incrível e assustador como o desejo desenfreado pelas riquezas tomou conta de muitos cristãos. Não se fala mais em santidade (requisito fundamental para ver o Senhor), em amor ao próximo (requisito fundamental para ser discípulo do Senhor), ou em renúncia (requisito fundamental para seguir o Senhor). A riqueza material tornou-se carro-chefe nas pregações, nas músicas, nos sermões e nas estratégias para aumentar o número de fiéis de determinadas igrejas.

Quanta insanidade é querer ser rico a qualquer custo, se a Palavra nos orienta a não ambicionarmos despudoradamente tesouros na terra (Mt 6.19), já que o próprio Deus cuida dos seus (isso não quer dizer que o servo do Senhor deve ser acomodado e desvalorizar o trabalho).

Enfim, é claro que desejamos prosperar segundo a vontade de Deus e a capacidade que Ele nos dá para conseguirmos nossos objetivos. Mas que a porção acostumada sirva para mantermos nossa dependência ao Senhor, sabendo que o Seu cuidado conosco é maior do que com a fauna (Mt 6.26) e a flora (Mt 6.30), criadas por Suas mãos.

_______________________________________

Fonte: http://kedsonni.blogspot.com/

24 de setembro de 2009

O casamento é um detalhe? Progaganda da Havaianas…

Foi retirado do ar o comercial das Havaianas em que uma senhora sugere que a neta faça sexo com Cauã Reymond. A “censura” aconteceu depois de várias reclamações de telespectadores e da abertura de um processo no Conar, conselho que regulamenta a publicidade, contra a propaganda. Uma surpresa para Lúcia Berta, de 84 anos, que ficou famosa com o comercial. “As pessoas estão desatualizadas. Sexo está na boca de todo mundo, como bala na boca de criança”, diz a atriz.

Ponto de Opinião:

Não quero avaliar a questão do marketing, até mesmo porque sou um apaixonado por propagandas publicitárias criativas e inovadoras. O ponto que quero me concentrar como cristão, é na desvalorização do casamento, visto nesse vídeo, e que tem se tornado normal para todas as pessoas. Novelas, progagandas, programas de tv, Portais de Internet, divulgam a idéia de que o casamento é um detalhe. Por exemplo pra se ter um filho não filho se casar, pegue o sêmen em um banco e pronto!

A banalização do casamento e da instituição família tem gerado uma usurpação dos valores éticos e morais da sociedade.

É na família que conhecemos os nossos primeiros amores e desamores, com ela crescemos e aprendemos. É a partir da família, vulgo pai e mãe, que a nossa personalidade se desenvolve, sem falar dos genes transmissíveis de geração para geração.


Não é por acaso que a família é a instituição social mas antiga do mundo.image


Chamo-lhe instituição social, precisamente, porque é no seio da família que o processo de socialização se inicia: interacção entre pais e filhos, entre irmãos, avós…com a entrada no pré –escolar somos inseridos numa sociedade maior onde vamos interagir com pessoas estranhas ao nosso meio familiar, mas que é necessário e urgente para que a sociabilização seja saudável e sustentada.

Seria até um clichê fazer este comentário, “casamento não é mais como antigamente”, porém é a pura verdade, é no mínimo difícil encontrar alguém que tenha se casado na década de 90 e mantenha o relacionamento com a mesma pessoa até hoje. Não que essas pessoas tenham errado, a culpa pela banalização do casamento não atinge um único casal, mas sim toda uma geração que teve liberdade demais, e não conseguiu conviver com a mesma, tornando-a, em libertinagem. O que acontece é que as pessoas não casam mais por amor e sim por afeto, carinho ou até mesmo outro tipo de interesse e é aí que se encontra o fato mais banal do casamento, certas dificuldades só são superadas por um verdadeiro amor, agora se você não ama, vai querer juntar sua vida a de outra pessoa por quê? Todos sabem que o casamento passa por diversas crises, seja financeira (a mais comum), existencial, de personalidade, agora, como a pessoa irá enfrentar ao menos uma dessas crises se não têm motivos suficientes para isso. O carinho, com as brigas vai embora, o prazer com a idade some já o amor não, e é justamente isso que está faltando nos casamentos atuais, amor, sentimento que liga uma pessoa a outra sem se importar com os defeitos recorrentes, não é preciso ter se casado para saber disso, isso são coisas básicas que todo ser humano sabe pelo simples fato de experiências não-felizes de pessoas próximas. Está faltando as pessoas se conhecerem verdadeiramente, falta as pessoas darem tempo ao tempo entre tanta correria para descobrir o verdadeiro sentido do verbo amar e fazer valer a pena o “sacrifício” do verdadeiro casamento.

Renato Jr.

Fonte do vídeo: www.havaianas.com.br

INTIMIDADE COM O DIABO! Mais uma do Renê Terra Nova.

 

Terra Nova, o “apostolo” picareta da visão para os cegos, afirma em seu blog pessoal que ouviu recado do próprio satanás enquanto pregava:

O Apóstolo Renê Terra Nova revelou que recebeu recados de Satanás contra a Igreja, durante o culto de ontem à noite, no momento da adoração. O inimigo queria intimidar o avanço da igreja, que ontem estava debaixo do manto apostólico. Mas destacou que todo líder que tem vida com Deus está blindado de toda intimidação do inferno.
“Essa timidez do inferno que tenta paralisar o líder não alcançará sua vida. Deus está nos blindando nesta manhã contra toda timidez do inferno”, profetizou o Apóstolo, que depois lembrou de Josué, discípulo de Moisés, que conquistou muito mais que seu líder porque recebeu libertação do medo, após a ministração de Deus na sua vida. “A timidez é medo. Quem é tímido, é medroso. Mas hoje, o Senhor te liberta de toda timidez”, declarou o apóstolo.

 


Quando eu digo que o homem é do outro lado, vem o pessoal do “deixa disto” do “pega leve”...


Me digam em sã consciência que pastor servo de Deus fica recebendo recado de satanás no púlpito...


Glorias ao Senhor meu Deus que na minha vida sempre me possibilitou ser pastoreado por homens servos que são usados pelo Espírito Santo de Deus no púlpito!


E mais glórias ainda por freqüentar comunidades onde o carcará não passa nem na porta, que dirá fala aos ouvidos do pastor durante o culto...


P.S: Repararam que a redação do blog escreveu o nome do rabudo iniciado por maiúscula? Que cristão não faz questão absoluta de quebrar esta regra gramatical em prol do devido desprezo ao chifrudo?


Vejam a integra da declaração de intimidade em:
(http://www.reneterranova.com.br/blog/?p=721)

____________________________________________

Fonte: Genizah Virtual

Zelamos pelo Zelaya!

image

Você é católico e tem algumas dúvidas?

image Pergunta:

Bom dia Pastor, Sou católico mas tenho algumas dúvidas sobre o que a minha igreja tem por doutrina. Imagens de santos e algumas orações, batismo de bebes e crianças entre outras coisas. Queria saber se o senhor tem alguma opinião a respeito dessas práticas.

 

Resposta:

Querido,

Fico imensamente feliz de saber que você quebrou a barreira da religião e tem lido o meu blog!

Quanto a questão do culto a imagens a Bíblia é bem clara quato a isso em Isaías 42.17; Salmo 78.58; Miquéias 5.13; Mas as mais claras passagens quanto a isso estão em Exodo 20.4; Levítico 26.1; Deuteronomio 5.8.

A Bíblia considera o culto a imagens, idolatria, portanto quando alguém se dobra diante de uma imagem, está desviando o foco de Deus o criador e adorando a criatura.

Quanto as orações, é a mesma questão. Dar glória e adorar outro ser que não seja Deus. Quando eu rogo a Maria (que foi uma grande mulher) que me ajude, eu estou clamando a quem não tem poder para realizar o milagre ou conceder a benção. Somente Jesus possui tal característica. Cabe aí o adágio popular que diz: "Se eu posso ir a Deus, pra que ir aos santos?"

Quanto ao batismo de crianças, bem esse é um assunto muito polêmico até no meio dos evangélicos. existe uma linha que diz que para ser batizado o indivíduo tem que discernir a fé que está abraçando. Porém, existe outra linha chamada "pedobatismo" que parte do pressuposto de que o batismo é uma substituição do ritual da circuncisão que iniciava a participação de um ser humano na comunidade da fé aos 8 dias de nascido. Sendo assim, seria lícito que se batizassem crianças também a partir dos 8 dias de nascido. Mas não se preocupe com isso, isso não define salvação. Preocupe-se apenas com o culto exclusivo a Deus, isso sim é a verdadeira espiritualidade.

Bem, estou pronto pra te responder mais se for preciso, estou a sua inteira disposição! Quando quiser, basta me escrever!

Forte abraço

Pr. Márcio de Souza

23 de setembro de 2009

As Confusões da "A Cabana" – Crítica Cristã

*Dr. Paulo Romeiro

Já faz tempo que o liberalismo teológico tem assediado e invadido uma boa parte do campo evangélico brasileiro. Os prejuízos para a pregação do evangelho têm sido enormes. A decadência doutrinária aumenta com rapidez e muitos crentes estão cada vez mais confusos.


Por várias décadas, o liberalismo teológico vem ganhando espaço nas denominações históricas e em seus seminários. Nos últimos anos, porém, alguns segmentos pentecostais foram atingidos por essa corrente de pensamento, algo inimaginável até então, pois, ser pentecostal significa crer no poder e na Palavra de Deus.


A exemplo dos liberais, alguns pentecostais se julgam espertos o suficiente para duvidar de Deus e da sua Palavra. Hostilizar o cristianismo, exaltar a dúvida e questionar a Bíblia Sagrada tornou-se para muitos um sinal de academicismo e inteligência.


É o que vemos hoje através das igrejas emergentes, que pregam uma ortodoxia generosa,¹ onde as verdades e temas vitais da fé cristã perdem sua importância. Tudo indica que há uma apostasia se instalando em muitas igrejas evangélicas, algo já predito na Palavra de Deus e que aponta para a volta de Cristo (2 Ts 2.3; 2 Tm 4.1; 2 Tm 4.1-4; 2 Pe 2.1).


É num solo assim, fértil para a semeadura e crescimento de distorções das doutrinas centrais da fé cristã que surge o livro A Cabana² promovendo o liberalismo teológico e fazendo sucesso entre os evangélicos e a sociedade em geral.


Este artigo apresenta uma breve análise, à luz da Bíblia, sobre esse best-seller a fim de responder algumas indagações de muitos cristãos.

I – Definições

Liberalismo teológico: Movimento da teologia protestante que surgiu no século XIX com o objetivo de modificar o cristianismo a fim de adaptá-lo à cultura e à ciência modernas. O liberalismo rejeita o conceito tradicional das Escrituras Sagradas como revelação divina proposital e detentora de autoridade, preferindo o conceito de que a revelação é o registro das experiências religiosas evolutivas da humanidade. Apregoa também um Jesus mestre e modelo de ética, e não um redentor e Salvador divino.


Pluralismo religioso: A crença de que há muitos caminhos que levam a Deus, que há diversas expressões da verdade sobre ele, e que existem vários meios válidos para a salvação.


Relativismo: Negação de quaisquer padrões objetivos ou absolutos, especialmente em relação à ética. O relativismo propala que a verdade depende do indivíduo ou da cultura.


Teologia relacional (teísmo aberto): Conceito teológico segundo o qual alguns atributos tradicionalmente ligados a Deus devem ser rejeitados ou reinterpretados. Segundo seus proponentes, Deus não é onisciente e nem onipotente. A presciência divina é limitada pelo fato de Deus ter concedido livre-arbítrio aos seres humanos.


II – O livro A cabana

A história do livro


Durante uma viagem que deveria ser repleta de diversão e alegria, uma tragédia marca para sempre a vida da família de Mack Allens: sua filha mais nova, Missy, desaparece misteriosamente. Depois de exaustivas investigações, indícios de que ela teria sido assassinada são encontrados numa velha cabana.


Imerso numa dor profunda e paralisante, Mack entrega-se à Grande Tristeza, um estado de torpor, ausência e raiva que, mesmo após quatro anos de desaparecimento da menina, insiste em não diminuir.


Um dia, porém, ele recebe um bilhete, assinado por Deus, convidando-o para um encontro na cabana abandonada. Cheio de dúvidas, mas procurando um meio de aplacar seu sofrimento, Mack atende ao chamado e volta ao cenário de seu pesadelo.


Chegando lá, sua vida dá uma nova reviravolta. Deus, Jesus e o Espírito Santo estão à sua espera para um “acerto de contas” e, com imensa benevolência, travam com Mack surpreendentes conversas sobre vida, morte, dor, perdão, fé, amor e redenção, fazendo-o compreender alguns dos episódios mais tristes de sua história (Informações extraídas da orelha do livro).


O livro é uma ficção cristã, um gênero que cresce muito na cultura cristã contemporânea e comunica sua mensagem de uma forma leve e fácil de se ler. O autor, William P. Young trata de temas vitais para a fé cristã tais como: Quem é Deus? Quem é Jesus? Quem é o Espírito Santo? O que é a Trindade? O que é salvação? Jesus é o único caminho para Deus?


III – Pontos principais do livro³

1. Hostilidade ao cristianismo


"As orações e os hinos dos domingos não serviam mais, se é que já haviam servido... A espiritualidade do Claustro não parecia mudar nada na vida das pessoas que ele conhecia... Mack estava farto de Deus e da religião..." (p. 59).

""Nada do que estudara na escola dominical da igreja estava ajudando. Sentia-se subitamente sem palavras e todas as suas perguntas pareciam tê-lo abandonado" (81).


Resposta bíblica: Jesus disse que as portas do inferno não prevaleceriam contra a sua Igreja (Mt 16.18).


2. Experiência acima da revelação


As soluções para os probemas da vida surgem de experiência extrabíblicas e não da Palavra de Deus. As alegadas revelações da "Trindade" são a base de todo o enredo do livro. Mesmo fazendo alusões às verdades bíblicas, elas não são a base autoritativa da mensagem.


3. A rejeição de Sola Scriptura


A Cabana rejeita a autoridade da Bíblia como o único instrumento para decidir as questões de fé e prática. Para ouvir Deus, Mack é convidado a ouvir Deus numa cabana através de experiências e não através da leitura e meditação da Bíblia Sagrada.


Resposta bíblica: Rm 15.4: "Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança".


2 Tm 3.16, 17: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a coreção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra".


A igreja não precisa de uma nova revelação, mas de iluminação para entender o que foi revelado nas Escrituras.


4. Uma visão antibíblica da natureza e triunidade de Deus


Além de errar sobre a Bíblia, A Cabana apresenta uma visão distorcida sobre a Trindade. Deus aparece como três pessoas separadas, o que pode ser chamado de triteísmo.


O autor tenta negar isso ao escrever: "Não somos três deuses e não estamos falando de um deus com três atitudes, como um homem que é marido, pai e trabalhador. Sou um só Deus e sou três pessoas, e cada uma das três é total e inteiramente o um" (p. 91).


Young parece endossar uma pluralidade de Deus em três pessoas separadas: duas mulheres e um homem (p. 77). Deus o pai é apresentado como uma negra enorme, gorda (p. 73, 74, 75, 76, 79), governanta e cozinheira, chamada Elousia (p.76).


Jesus aparece como um homem do Oriente Médio, vestido de operário, com cinto de ferramentas e luvas, usando jeans cobertos de serragem e uma camisa xadrez com mangas enroladas acima dos cotovelos, mostrando os antebraços musculosos. Não era bonito (p. 75).


O Espírito Santo é apresentado como uma mulher asiática e pequena (p. 74), chamada Sarayu (p. 77, 101).


Resposta bíblica: Dentro da natureza do único Deus verdadeiro há três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. São três pessoas distintas, mas, não separadas como o livro apresenta. Além disso, o Pai e o Espírito Santo não possuem um corpo físico. Veja Jó 10.4; João 4.24 e Lucas 24.39.


5. A punição do pecado


O livro apregoa que Deus não castiga os pecados: "Mas o Deus que me ensinaram derramou grandes doses de fúria, mandou o dilúvio e lançou pessoas num lago de fogo. — Mack podia sentir sua raiva profunda emergindo de novo, fazendo brotar as perguntas, e se chateou um pouco com sua falta de controle. Mas perguntou mesmo assim: — Honestamente, você não gosta de castigar aqueles que a desapontam? Diante disso, Papai interrompeu suas ocupações e virou-se para Mack. Ele pôde ver uma tristeza profunda nos olhos dela. — Não sou quem você pensa, Mackenzie. Não preciso castigar as pessoas pelos pecados. O pecado é o próprio castigo, pois devora as pessoas por dentro. Meu objetivo não é castigar. Minha alegria é curar. — Não entendo..."


Resposta bíblica: A Cabana mostra um Deus apenas de amor e não de justiça. Apesar da Bíblia ensinar que Deus é amor, não falha em apresentá-lo como um Deus de justiça que pune o pecado:


"A alma que pecar, essa morrerá" (Ezequiel 18.4).


"Semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro" (Rm 1.27).


"porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Rm 6.23).


"E a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus" (2 Ts 1.7, 8). Cristo morreu pelos nossos pecados (1Co 15.3).


6. O milagre da encarnação


O livro apresenta uma visão errada da encarnação de Jesus Cristo: "Quando nós três penetramos na existência humana sob a forma do Filho de Deus, nos tornamos totalmente humanos. Também optamos por abraçar todas as limitações que isso implicava. Mesmo que tenhamos estado sempre presentes nesse universo criado, então nos tornamos carne e sangue" (p. 89).


Resposta bíblica: De acordo com a Bíblia, somente o verbo encarnou (Jo 1.14). Veja ainda Gl 4.4; Cl 2.9 e 1Tm 2.5.


7. Jesus, o melhor ou único caminho para o Pai?


No livro, Jesus é apresentado como o melhor e não o único caminho para Deus: "Eu sou o melhor modo que qualquer humano pode ter de se relacionar com Papai ou com Sarayu" (p. 101).


Resposta bíblica: A Bíblia é muito clara ao afirmar que Cristo é o único que pode salvar: Is 43.11; Jo 6.68; Jo 14.6; At 4.12 e 1 Tm 2.5.


8. Patripassionismo


O livro promove uma antiga heresia denominada patripassionismo, que é o sofrimento do Pai na cruz: "O olhar de Mack seguiu o dela, e pela primeira vez ele notou as cicatrizes nos punhos da negra, como as que agora presumia que Jesus também tinha nos dele. Ela permitiu que ele tocasse com ternura as cicatrizes, marcas de furos fundos" (p. 86). "Olhou para cima e notou novamente as cicatrizes nos pulsos dela” (p. 92). “Você não viu os ferimento em Papai também"? (p. 151).


Resposta bíblica A Bíblia mostra que foi Jesus quem sofreu na cruz e recebeu as marcas dos cravos e não o Pai ou o Espírito Santo. Veja João 20.20, 25, 28.


9. Universalismo


A Cabana promove o universalismo, isto é, que todas as pessoas serão salvas, não importa a sua religião ou sistema de crença. "Os que me amam estão em todos os sistemas que existem. São budistas ou mórmons, batistas ou muçulmanos, democratas, republicanos e muitos que não votam nem fazem parte de qualquer instituição religiosa. Tenho seguidores que foram assassinos e muitos que eram hipócritas. Há banqueiros, jogadores, americanos e iraquianos, judeus e palestinos" (p. 168, 169).


"Não tenho desejo de torná-los cristãos, mas quero me juntar a eles em seu processo para se transformarem em filhos e filhas do Papai, em irmãos e irmãs, em meus amados" (p. 169).


Jesus afirma: "A maioria das estradas não leva a lugar nenhum. O que isso significa é que eu viajarei por qualquer estrada para encontrar vocês" (p. 169).

Resposta bíblica Não há base bíblica para tais afirmações. A Palavra de Deus ensina que não existe salvação fora de Jesus Cristo. Apesar de o universalismo ser uma doutrina agradável, popular e que reflete a política da boa vizinhança, a Bíblia afirma que nem todos serão salvos: Veja Mt 7. 13, 14; 25.31-46; 2 Ts 3.2.


NOTAS
* Pastor presidente da ICT - Igreja Cristã da Trindade; Presidente da Agir - Agência de Informações Religiosas
¹ Brian McLaren. Uma ortodoxia generosa. Brasília. Editora Palavra. 2007. Este livro promove muitas das propostas denunciadas neste estudo.
² YOUNG, William P. A cabana. Rio de Janeiro. Editora Sextante. 2008.
³ Algumas idéias foram extraídas de um trabalho publicado por Norman Geisler: “Norm Geisler Takes “The Shack”to the Wood Shed. Acessado em 18 de dezembro de 2008. www.thechristianworldview.com


BIBLIOGRAFIA
EVANS, C. Stephen. Dicionário de apologética e filosofia da religião. São Paulo. Vida. 2004.
NICODEMUS, Augustus. O que estão fazendo com a Igreja. São Paulo. Mundo Cristão. 2008.
PIPER, John et alli. Teísmo aberto: uma teologia além dos limites bíblicos. São Paulo. Editora vida. 2006.
WILSON, Douglas (org.). Eu não sei mais em quem eu tenho crido: confrontando a teologia relacional. São Paulo. Editora Cultura Cristã. 2006.
YOUNG, William P. A cabana. Rio de Janeiro. Editora Sextante. 2008.

 

Fonte: resistenciaprotestante.blogspot.com

Confira o testemunho de uma ex-atriz da Globo que se converteu a Cristo

image Abaixo você confere o testemunho da atriz Thiara Palmieri que ficou famosa ao ter papel de destaque em malhação.

“Desde os 6 anos de idade trabalho como atriz, hoje tenho 25. Foram 18 anos de trabalho intenso, em uma busca incessante para alcançar meus objetivos: ter sucesso e ser bem sucedida na profissão.

Aos 20 anos, enquanto minha carreira começava a decolar, minha vida pessoal era um caos: família destruída, falsos amigos e uma vida vazia. Minha mãe já era convertida há 2 anos, mas eu pouco freqüentava a igreja e não acreditava nos pastores.

 

Aparentemente eu era a pessoa mais alegre, confiante e extrovertida do mundo, mas por dentro, só o Senhor sabia como eu me sentia.

Um dia, na fila do Aeroporto de Congonhas, enquanto eu esperava para fazer o check-in, um casal à minha frente, chamou-me muito a atenção: uma loira muito bonita, um homem bem vestido e um menininho com roupa de surfista.

Estavam com a bíblia aberta, falando sobre as coisas de Deus e tudo o que falavam era para mim!

Bem, esse foi meu primeiro encontro real com o Senhor. Desde então pedia para que Deus mostrasse-me um casal no qual eu pudesse confiar, porque eu precisava ser pastoreada. Seis meses se passaram e um dos meus melhores amigos da faculdade convidou-me para conhecer uma nova Igreja: a Bola de Neve Church.

Qual não foi minha surpresa ao entrar na igreja? A linda mulher que eu tinha visto no aeroporto estava louvando ao Senhor no púlpito e o homem bem vestido era o pastor da igreja Bola de Neve: Apóstolo Rina e Pastora Denise. Não poderia ter resposta mais clara; aquele era o meu lugar.

Do dia para a noite minha vida foi transformada, meus telefones pararam de tocar, os falsos amigos sumiram, minha vida estava em paz e, dois meses depois da minha conversão, fui contratada para trabalhar na TV Globo. Minha vida tornara-se perfeita e tudo isso para honra e glória do Senhor Jesus.

Foram pouco mais de três anos morando entre Rio e São Paulo, muitas coisas aconteceram: a igreja do Rio nasceu, o Pastor Gilson e a Pastora Priscila (pastores da Igreja do Rio) foram meus pais, meus amigos e meus pastores nesse tempo. Cresci muito e chegou a hora em que Deus me presenteou com minha benção: o Leonardo. Ele é de São Paulo e não conhecia Jesus “de com Ele andar”.

Foi um tempo difícil, pois eu morava parte do tempo no Rio, parte em São Paulo; trabalhava muito, mas tinha certeza dos planos de Deus pra nós. Tivemos um tempo de oração, ele aceitou Jesus e, de cara, parou de fumar, beber e, em pouco tempo, era um homem completamente transformado. Meu contrato com a TV Globo acabou e mudei-me definitivamente para São Paulo, então tivemos a bênção para começar o namoro.

Foram 11 meses até nosso casamento e, nesse tempo, tive de tomar a decisão mais difícil da minha vida: renunciar a minha profissão. Profissão que eu amo, mas que me mantinha de braços dados com o mundo. E, às vésperas do casamento, eu não podia mais conciliar família e trabalho.

Foi duro, doído, joguei todos os meus sonhos fora, para começar a viver os sonhos de Deus. Valeu a pena! Tem sido uma benção!

O Léo trata-me como uma princesa do Senhor; nós nos amamos cada dia mais e sentimos a presença do Pai em todo instante das nossas vidas. Não sei o que Deus tem preparado para mim: “aposentei-me” como atriz para o mundo, mas sinto-me pronta para começar a trabalhar para o Senhor.

Tenho certeza que juntos, Jesus, o Léo e eu, faremos grandes coisas, porque os sonhos de Deus são infinitamente maiores do que nós podemos imaginar.

Há 5 anos eu era só mais uma, hoje eu tenho meu nome e o da minha geração escritos na palma das mãos do Senhor: isso vale mais do que qualquer coisa!

Que Deus abençoe sua vida grandemente e te dê a certeza de que viver os sonhos dEle vale a pena!"

Com amor, Thiara Palmieri Santana

___________________________________

Para os que não lembram bem da atriz, vejam o vídeo abaixo:

______________________________________

    Fonte: Notícias Cristãs / Gospel+

O matuto, a pregação do evangelho e o “mineirês”

image

Certa vez um homem da cidade enquanto viajava pelo interior das Minas Gerais, resolveu evangelizar um matuto que estava sentado à praça de sua cidade. Sem titubeios ele começou a falar dos atributos de Deus, do amor de Jesus, além do cuidado do Senhor para com os seus. Entretanto, por maior que fosse o esforço do homem da cidade em se fazer entender, o caboclo nada entendia.Percebendo que não conseguia penetrar no coração do homem da roça, o evangelista resolveu recitar o salmo 23 em “mineirês”.


O sinhô é meu pastô e nada há de me fartá
Ele me faiz caminhá pelos verde capinzá
Ele tamém me leva pros corgos de água carma
Inda que eu tenha qui andá
nos buraco assombrado
lá pelas encruzinhada do capeta
não careço tê medo di nada
a-modo-de-quê Ele é mais forte que o “coisa-ruim”
Ele sempre nos aprepara uma boa bóia
na frente di tudo quanto é maracutaia
E é assim que um dia
quando a gente tivé mais-pra-lá-do-qui-pra-cá
nóis vai morá no rancho do sinhô
pra inté nunca mais se acabá...
AMÉIM!


Assim que terminou de receitar o salmo 23 em “idioma mineiro”, o caipira abriu um largo sorriso, demonstrando que havia entendido a mensagem.


Pois é, como dizia o “filósofo” Chacrinha quem não se comunica se trumbica, e vamos combinar uma coisa? A comunicação é a chave do negócio. Isto posto, afirmo sem sombra de dúvidas do que mais do que nunca precisamos aprender de forma inteligente a como penetrar no coração das pessoas anunciando-lhes a mensagem da salvação eterna, até porque, caso contrário nos frustaremos em nossa missão.

________________________________________________

Fonte: Renato Vargens

Procuram-se: Velhos soldados para defenderem velhas verdades

imageC.H. Spurgeon

A igreja necessita grandemente de cristãos maduros, e especialmente quando há muitos novos convertidos sendo acrescentados a ela. Novos convertidos fornecem ímpeto à igreja, mas a sua espinha dorsal e a sua substância devem, sob Deus, repousar sobre os membros mais maduros.


Nós queremos os cristãos maduros no exército de Cristo fazendo o papel de veteranos, inspirando os demais com frieza, coragem e firmeza; porque se o exército inteiro for composto de recrutas inexperientes a tendência será que eles hesitem quando o assalto for mais feroz que o habitual.


A velha guarda, os homens que respiraram fumaça e comeram fogo anteriormente, não tremem quando a batalha se enfurece como uma tempestade. Eles podem até morrer, mas jamais se rendem. Quando eles ouvem o grito de "Avante," eles podem não avançar tão agilmente à frente como os soldados mais jovens, mas eles arrastam a artilharia pesada, e o seu avanço uma vez conquistado, é seguro. Eles não vacilam quando os tiros voam intensamente, porque eles se lembram de antigas batalhas em que Jeová cobriu suas cabeças. A igreja precisa, nestes dias de fragilidade e falta de compromisso, de crentes mais decididos, profundos, bem-instruídos e confirmados.


Nós somos assaltados por todo tipo de doutrinas novas. A velha fé é atacada por assim-chamados “reformadores” que adorariam reformá-la completamente. Eu espero ouvir notícias de alguma doutrina nova uma vez por semana. Tão freqüentemente como a lua muda, um ou outro profeta é movido a propor alguma nova teoria, e acreditem, ele lutará mais bravamente por sua novidade do que jamais fez pelo Evangelho. O descobridor se acha um Lutero moderno, e da sua doutrina ele pensa como Davi pensou da espada de Golias: "Não há outra semelhante."


Como Martinho Lutero disse de alguns nos seus dias, estes inventores de novas doutrinas encaram suas descobertas como uma vaca diante de um portão novo, como se não houvesse nada mais no mundo para se encarar. Eles esperam que todos nós fiquemos loucos por seus modismos e marchemos de acordo com o seu apito. Ao que nós damos ouvidos? Não, nem por uma hora.


Eles podem reunir uma tropa de recrutas inexperientes e conduzirem-nos para onde quiserem, mas para crentes confirmados eles soam suas cornetas em vão. Crianças correm atrás de qualquer brinquedo novo; em qualquer pequena apresentação de rua os garotos ficam todos excitados, boquiabertos; mas os seus pais têm trabalho por fazer, e suas mães têm outros assuntos em casa; aquele tambor e aquele apito não vão atraí-los.

Pela solidez da igreja, pela firmeza da fé, por sua defesa contra os recursivos ataques de hereges e infiéis, e pelo avanço permanente dela e a conquista de novas províncias para Cristo, nós não queremos apenas seu sangue jovem, quente, o qual esperamos que Deus sempre nos envie pois é de imensa utilidade e não poderíamos ficar sem. Mas nós também precisamos dos corações frios, firmes, bem-disciplinados e profundamente experimentados de homens que conhecem por experiência a verdade de Deus, e atém-se firmemente ao que aprenderam na escola de Cristo.


Que o Senhor nosso Deus nos envie muitos desses. Eles são extremamente necessários.

_________________________________________________________________________

* N.T.: Referência a 1 Sm 21:9
Fonte: Trecho extraído do sermão Fruto Maduro pregado em 14 de Agosto de 1870
.

22 de setembro de 2009

Funkeira GOSPEL - Tati Quebra Barraco vira evangélica!

image

Vi essa notícia no site do Sidney Rezende:

A funkeira Tati Quebra Barraco, conhecida por cantar músicas com letras proibidas sobre sexo, começou a frequentar uma igreja evangélica há seis meses, segundo informações da coluna Retratos da Vida do jornal 'Extra' desta terça-feira. Ela teria se transformado em uma nova pessoa depois de conhecer os ensinamentos dos pastores de sua nova igreja.


A comemoração de seu 30º aniversário, por exemplo, foi com um almoço em sua casa para os pastores da igreja e a noite com uma pequena festa, em que recebeu apenas familiares e amigos íntimos.
Apesar da nova vida espiritual, a autora dos clássicos "Me chama de cachorra" e "Dako é bom" não modificou sua carreira. As músicas de duplo sentido continuam no seu repertório.

Com certo zelo, que me é peculiar, quero esperar o tempo revelar as transformações que uma nova vida com Cristo trazem. Primeiro, é de se louvar apenas o fato de que a mesma esteja frequentando a igreja, ora já é uma conquista, ninguém pode negar! Também sabemos que a transformação não é imediata, por isso a cautela, pois ser “evangélico” é moda, nos dias atuais. Mais verdadeiros cristãos, com vidas e mentes transformados é outra história.

Todo mundo sabe que estamos num país livre, onde cada um professa a religião e a crença que bem entende. Acontece que a facilidade que pessoas públicas têm de se intitularem cristãs sem de fato estarem vivendo uma vida compromissada com Deus está crescendo adoidadamente. Coisa que, na maioria dos casos, não é nada positivo. A igreja cristã sente-se vendo o nome de Jesus na lama quando se depara com as baboseiras que algumas celebridades falam e fazem usando o título de crentes. Que baboseiras? Então…

Tem conversão para todos os gostos. E infelizmente, a maioria, é daquele tipo em que as pessoas continuam em cima do muro. Só Deus conhece mesmo os corações e pode, de fato, julgá-los, mas a impressão que dá é que não houve mudança alguma. Parece que dizer que se tornou crente virou status. Tipo, moda, entende?

Um exemplo um pouco chocante é a tal da Joelma. Além de triste, a situação chega a ser hilária. É praticamente inacreditável a entrevista que rola pela internet com a moça declarando que conta com a ajuda do Todo-poderoso para elaborar suas coreografias. Sim, ela ora antes de ter inspirações para rebolar! Deve ser uma tentativa de fazer os remelexos surtirem mais efeitos em quem vê.

Tem também a ex-morena Sargentelli, Solange Couto, a mesma que tornou famoso o bordão “Né brinquedo, não!”, numa novela da Globo. Num péssimo testemunho, em agosto, a senhora cinqüentenária teve um ataque de ira na frente de um banco no Rio de Janeiro e, simplesmente, tirou a roupa. Sim, na frente de todo mundo que tava por ali, em plena luz do dia! Ela justificou, dizendo que não sabe o que lhe passou pela cabeça e que reconhece que, sendo crente e mãe de família, estes comportamentos não caem muito bem. Ah, tá.

Sobre a Monique Evans… Pôxa vida. O que falar? O que todo mundo vive a repetir é que ela é uma sem-vergonha de marca maior, porque apresentava um programa que falava de sexo e continuava indo à igreja. Nenhuma novidade até aí. O pastor dela (ou o que era na época da entrevista) explicou que não poderia impedir que pessoas desta classe freqüentassem as reuniões. Segundo ele, a mudança vem no decorrer da caminhada cristã. Em parte, está certo. As pessoas mudam com o tempo e existe o período de ignorância ainda. Mas as declarações dela continuam ardendo no ouvido dos mais conservadores. Monique é atrevidamente enfática: “Você não precisa mudar para ser de Jesus, depois o Espírito Santo trabalha no seu coração. Muito crente diz assim: ‘Não vou fazer porque vou ser castigado’. Isso não rola, o pior dos castigos é a culpa. Deus não quer isso pra você. É maravilhoso você dormir à noite tranqüilo porque você não se sente culpado do que fez durante o dia”.

Embora, desde 2005, não esteja apresentando mais o erótico programa Noite Afora, da Rede TV, a apresentadora e ex-modelo continua na mesma emissora fazendo flashes de entrevistas para o TV Fama. Se o formato mudou? Não muito. No fim de julho mesmo, ela invadiu um treino de futebol e ficou implorando selinhos aos jogadores, além de acariciar o corpo deles e fazer comentariozinhos carregados de malícia. Bem típico dela.

É o tipo de pessoa que parece usar (com muito orgulho) o mote do “complexo Gabriela” como estilo de vida. “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabrieelaa”. Aquelas posturas sem abertura a mudanças. Para ela, falar obscenamente de assuntos como os órgãos sexuais são apenas “sacanagens gospel”: “Quem disse que o ‘piu-piu’ e a ‘baratinha’ são coisas feias? Deus nos fez assim. Vergonha é falar sobre guerra, crime e política”, afirmou.

Para fechar, a mais ridícula das declarações dela é sobre o teor evangelístico de seu “trabalho”: “Não me preocupo em chocar os crentes e muito menos em fazer um programa de sexo. Nada de caretice! Pra gente chamar almas novas tem ir lá onde elas estão, mas, claro, sem se contaminar. E é isso que eu faço. Com certeza eu posso levar Jesus às pessoas através do meu programa”.

Claro que não podemos julgar as pessoas simplesmente pelas aparências, afinal não conhecemos ninguém o suficiente para saber quem é quem no interior. Só Deus sonda os corações. A nós, cabe apenas a observância dos frutos, o que já é um passo bastante interessante. Em se tratando disso, graças a Deus, ainda podemos ver alguns exemplos que se destacam na busca pela santidade e em testemunhos que têm impactado vidas positivamente.

image image image

É o caso do Rodolfo, ex-Raimundos, do Lázaro, ex-Olodum, e do Waguinho, ex-Morenos, como muitos outros. Como igreja, oramos para que exemplos como estes três se multipliquem até que, de fato, possamos dizer que a classe artística está usando seus dons e talentos para a glória do Senhor, devolvendo a Ele o que é seu por direito.

 

Renato Jr.

Fonte: Sidney Resende e FabioeCarolGuimarães.

CONQUISTA! É obrigatório a execução do Hino Nacional Brasileiro.

image

A partir desta terça-feira, 22, as escolas públicas e particulares de ensino fundamental terão que executar o Hino Nacional pelo menos uma vez por semana. A lei com a obrigação foi sancionada nesta segunda-feira, 21, pelo presidente da República em exercício, José Alencar, que recebeu alta médica no último sábado, 19. A autoria da proposta é do deputado federal Lincoln Portela (PR-MG). Em 2009, a letra do hino, escrita por Joaquim Osório Duque Estrada, completou 100 anos.

Um conquista para a nação, que vem como estímulo a busca ao patriotismo. Sou totalmente a favor de se voltar a cantar o Hino Nacional nas escolas, mas não deve ser apenas uma decoreba e sim estimular as crianças a amarem o seu País e saberem verdadeiramente cantar o nosso lindo Hino Nacional, (e serve de exemplo para mim e você que lê e provavelmente não sabe ele todo de cor). E sabemos que uma grande parcela da população não sabe cantar nosso precioso hino. E também para evitar que aconteça novamente uma "atrocidade" como foi ver a Vanusa interpretando-o. Como é que vamos formar bons cidadãos e bons políticos, se não amamos nossa pátria? Cantar o Hino Nacional, é amar a sua pátria. Eu amo meu País e amo cantar nosso belo hino.

 

HISTÓRIA DO HINO NACIONAL

      image                                              image

Francisco Manuel da Silva                                    Joaquim Osório Duque-Estrada

O Hino Nacional Brasileiro é uma das mais belas obras do repertório nacional: uma bem estruturada composição musical somada a um poema de rara inspiração cívica.  Seus autores - Francisco Manuel da Silva (1795-1865), música e  Joaquim Osório Duque-Estrada (1870 - 1927), letra - não chegaram a conhecer-se.  A música nasceu primeiro; o texto veio depois.

Curiosa é a história do nosso Hino: nasceu em 1822 no estilo de uma marcha para banda, a fim de comemorar a Independência, sendo depois modificado quando da Abdicação de D. Pedro I.  Durante todo o século XIX foi apenas executado.  Para o mesmo criaram-se vários textos que nunca estiveram à altura da música de Francisco Manuel.  Após tumultuados acontecimentos, letra e música foram definitivamente adotados, como vimos, a partir de 1922. Mais curioso é ainda o fato do Hino ter sido oficializado somente em 1° de setembro de 1971 (Lei n. 5.700). A orquestração é de Assis Republicano e a adequação vocal, em fá maior, do compositor Alberto Nepomuceno.

Renato Jr.

FONTE: CORREIO MUSICAL, e GLOBO.COM

As aparências enganam!

 

“Não julgueis pela aparência mas

julgai segundo o reto juízo.” João 7:24

21 de setembro de 2009

Batistas em luto: Faleceu o Pastor Nilson do Amaral Fanini

Faleceu neste sábado, dia 19, em Dallas no Texas, nos Estados Unidos, às 6h46 da manhã ( horário de Brasília) o pastor Nilson do Amaral Fanini. Presidente diversas vezes da Convenção Batista Brasileira (CBB), ele também esteve à frente da Aliança Batista Mundial (BWA, sigla em inglês).
Segundo informações do pastor David Schier, o pastor Fanini estava em viagem pelos Estados Unidos com sua esposa Helga para conhecer a sua mais nova netinha.

No entanto, durante a viagem de avião ele teve uma pneumonia e posteriormente um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que atingiu três partes de seu cérebro.
O pastor Fanini foi então internado em um hospital da cidade de Dallas (estado americano do Texas), porém os médicos chegaram à conclusão de que a situação era irreversível, o que os levou a desligarem os aparelhos, informou o pastor David Schier.
A família informou que o funeral será nos Estados Unidos.
Nilson do Amaral Fanini começou sua carreira religiosa na década de 1950, tendo sido consagrado pastor na Igreja Batista da Tijuca e, posteriormente, pastor itinerante no norte do estado do Paraná.
Ele se casou com Helga Kepler Fanini e fez mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, no Texas, nos EUA. De volta ao Brasil, pastoreou a primeira Igreja Batista de Niterói por 41 anos, foi presidente da Convenção Batista Brasileira por 11 vezes e presidiu a Aliança Batista Mundial, por três anos.
Ele se aposentou da carreira religiosa em 2006.


Comunicado oficial da Convenção Batista Brasileira em www.batistas.com

Faleceu neste sábado às 6h46 (horário de Brasília), 4h46 (horário de Dallas), o pastor Nilson do Amaral Fanini, que foi diversas vezes presidente da Convenção Batista Brasileira (CBB) e que também esteve à frente da Aliança Batista Mundial (BWA, sigla em inglês).
Segundo informações do pastor David Schier, o pastor Fanini estava em viagem pelos Estados Unidos com sua esposa Helga para conhecer a sua mais nova netinha.
No entanto, durante a viagem de avião ele teve uma pneumonia e posteriormente um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que atingiu três partes de seu cérebro.
O pastor Fanini foi então internado no Hospital Metodista da cidade de Dallas (estado americano do Texas), porém os médicos chegaram à conclusão de que a situação era irreversível, o que os levou a desligarem os aparelhos, informou o pastor David Schier.
A família, através do filho Roberto Fanini, informou que o corpo será cremado, na próxima segunda-feira, dia 21, nos Estados Unidos e não será trazido para o Brasil. Roberto também informou que no dia 27/09, em Dallas, será realizado o culto em memória e gratidão pela vida do pastor Fanini.
Os batistas brasileiros também poderão prestar sua homenagem no dia 04/10, quando será realizado na Igreja Batista Memorial de Niterói um momento de gratidão a Deus pela vida deste grande evangelista.
A câmara municipal de Niterói realizará, também no dia 04/10, uma solenidade póstuma.


Pequeno histórico
O pastor Fanini nasceu no dia 18 de março de 1932 na cidade de Curitiba (PR). Ainda jovem, aos 12 anos de idade, aceitou a Cristo como seu Senhor e Salvador após um apelo do pastor David Gomes durante uma série de conferências na capital do Paraná. Foi batizado no mesmo ano de 1944.
Na juventude, enquanto servia nas forças armadas, sentiu que Deus desejava dele um compromisso ministerial. O jovem Fanini decidiu então fazer o Seminário Menor no Instituto Teológico A.B. Deter, em Curitiba. Posteriormente, seguiu para o Seminário Teológico do Sul do Brasil (STBSB), onde completou o curso de bacharel em Teologia no ano de 1955, quando tinha 23 anos.
Ele foi consagrado ao ministério da Palavra em 24 de novembro de 1955 na Igreja Batista da Tijuca (RJ), que era então pastoreada pelo pastor Oswaldo Ronis. Um ano depois ele se casou com Helga Kepler Fanini, com quem teve três filhos, Otto Nilson, Roberto e Margareth. No mesmo ano seguiu para os EUA, onde fez mestrado em Teologia no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth (Texas).
Ao retornar dos EUA aceitou convite da Primeira Igreja Batista de Vitória (ES), onde atuou entre 1958 e 1964. Assumiu então a Primeira Igreja Batista de Niterói, na qual alcançou um ministério de 41 anos. Por fim, atuou na Igreja Batista Memorial de Niterói.
O pastor Fanini também fundou e apresentou o programa de TV “Reencontro”


Renato Jr. do Blog RenatoJr:

Quero apresentar meus sentimentos à familia do Pastor Nilson do Amaral Fanini e a todos os batistas do Brasil. Peço a Deus que estejas consolando o coração de todos e que a paz do Senhor Jesus lhes dê forças para suportar tão grande perda. Deus os abençoe.

 

Fontes: www.creio.com.br - www.sidneyrezende.com - www.batistas.com - blogdopcamaral.blogspot.com/

“Unção” e outros nem sairam das fraldas…

É isso aí queridos…

Em plena segunda-feira, início de semana, meus queridos amigos blogueiros me mandaram por e-mail hoje cedo.

Não sei se fico rindo para não chorar, ou se choro para não rir.

Que Deus te abençoe abundantemente nesta semana!

Renato Jr.

7 Unções para a cura!

image
Fonte: [ Site da SNT ]
É incrível o nível de (in)capacidade mental para inventar tantas unções, que na verdade não existem na bíblia. Esse pessoal da SNT são especialistas em promover o antropocentrismo, fazem de tudo para satisfazer o ego do povo go$pel. Agora mais esta: 7 unções para a cura - proteção contra as enfermidades. Era o que faltava para completar! Quem ficar doente na SNT é porque não estará na unção? Quanta mediocridade!


O pior é que as tais "unções de cura" ministradas pelos expoentes desta denominação, ultimamente não vem dando resultado, basta recordar a quebra da praga da gripe H1N1 que não funcionou. Para os que não sabem Robson Rodovalho em Agosto, pregou uma unção especial contra a gripe suína, pois até a "mega festa" de aniversário do bispo Rodovalho foi cancelada, devido a gripe.

Será que o povo da SNT não vão acordar para ver que este misticismo antropocêntrico - biblicamente infundado - não funciona? Deus cura sim, cura quem quer e como Ele quiser, mas não se atrevam a vender a cura divina, muito menos a marcar data e horário para Deus curar alguém!

Por Ruy Marinho – Blog Bereianos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails